Notícias

Qual o retorno para a sociedade do investimento do Governo Federal em universidades públicas?

De acordo com pesquisa publicada na Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), a cada R$ 1,00 investido pelo Governo Federal naquela universidade, a sociedade tem um retorno de R$ 3,28 na forma de aumento na renda de estudantes egressos. Devido ao aumento na renda privada dos egressos, como revelou o estudo, o retorno aos cofres públicos do valor investido se dá por meio da carga tributária que será arrecadada ao longo da vida dessas pessoas. Os dados integram a pesquisa “Avaliação do retorno dos gastos com educação no ensino superior: o caso UNIFEI”, desenvolvida pelo professor Moisés Diniz Vassalo, do Instituto de Engenharia de Produção e Gestão (IEPG) da UNIFEI. Saiba mais detalhes da pesquisa, no site da UNIFEI: https://bit.ly/3s5mn8S

A pesquisa revelou ainda que, quando se multiplica o valor que retorna para os cofres públicos pelo número médio de formandos da universidade anualmente, chega-se a cifra de R$ 214 milhões em média. Este valor é muito próximo ao do que é investido anualmente pelo Governo Federal na universidade, cerca de R$ 218 milhões. Em outras palavras, a maior parte do orçamento investido público na UNIFEI retorna para o próprio governo. Isso sem levar em conta as diversas outras formas de benefícios geradas pela academia.

Embora ainda não tenha sido feita uma pesquisa semelhante na UFMG, a contribuição da nossa universidade para a sociedade é evidente. A Universidade Pública em geral, ademais,contribui ativamente para o aumento do poder aquisitivo dos profissionais formados na instituição, o que se reflete na economia do país. Além disso, o aumento do ingresso de estudantes oriundos das camadas mais pobres da população contribui para mudar o cenário socioeconômico do país.

Na verdade, a contribuição acadêmica para a sociedade vai além da financeira. Além do ensino, a população tem o retorno do investimento público por meio da pesquisa e da extensão universitárias. Neste período de pandemia, por exemplo, a pesquisa científica desenvolvida na UFMG tem sido fundamental na prevenção e no combate ao novo coronavírus. Inclusive, foi anunciado que a universidade está desenvolvendo a primeira vacina brasileira contra a Covid-19. A previsão dos pesquisadores é de que, se tudo correr conforme o previsto, o imunizante esteja disponível no próximo ano.

 

Com informações da UNIFEI.