Acontece na APUBH

Nota Pública do APUBH UFMG+: Sindicato entrará com ação jurídica contra Abraham Weintraub

O ministro da Educação desconhece e desrespeita a área que deveria representar

O APUBH UFMG+ vem a público manifestar a sua indignação com o governo federal que, por meio de seu ministro de Estado, empreende uma sistemática campanha de desmoralização e sucateamento da educação pública no país. O ministro da Educação Abraham Weintraub, recentemente, realizou acusações levianas de que o espaço acadêmico seria utilizado para a plantação e produção de drogas ilícitas, citando, inclusive, a UFMG. Em nota publicada ontem (25/11), o Conselho Universitário da UFMG refutou devidamente as acusações e o APUBH endossa essa defesa.

Este, no entanto, não foi o primeiro caso. O ministro é reincidente na veiculação de informações sem verificação e mentiras, a fim de corromper a imagem das universidades públicas e institutos federais de ensino. Ele demonstra um completo desrespeito e desconhecimento do trabalho desenvolvido por professoras e professores, por estudantes e pelo serviço público federal.

Em seus 10 meses de gestão, Weintraub descumpriu a responsabilidade na definição e condução de uma política educacional minimamente consistente, que enfrente os reais problemas da educação brasileira. Nunca antes na história deste país, tivemos um ministro da Educação que lutasse por menos investimento público na pasta. A despeito da necessidade de mais verbas, ele lidera sucessivos cortes no ensino superior e nas áreas de ciência, tecnologia e inovação, tendo a sua maior expressão na proposta do “Future-se”.

Contudo o que poderíamos esperar de um ministro de Estado que zomba da Proclamação da República e de princípios básicos da democracia? Ministro este que, diante de protestos, ataca cidadãos com agressões desprezíveis e inaceitáveis. Weintraub é um verdadeiro representante da política ultraliberal que vem sendo implantada pelo governo no país, uma ameaça à Educação e a outros direitos básicos previstos na Constituição Federal de 1988.

Abraham Weintraub demonstra não estar à altura do cargo que ocupa e coloca em risco a história e o patrimônio construído pelo povo brasileiro. E, a comunidade universitária, através de seus representantes, manifestou-se, como sempre o faz, na defesa da instituição, um dos pilares da vida democrática. Do mesmo modo, o APUBH UFMG+ entrará com ação jurídica contra o ministro, na defesa dos docentes da instituição, caluniados irresponsavelmente.

 

Sindicato dos Professores de Universidades Federais de
Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco – APUBH UFMG+