Acontece no APUBH

Nota do APUBHUFMG+ sobre o ofício circular nº10/2021/PROGRAD

A UFMG divulga orientações iniciais para o planejamento coletivo da retomada gradual de atividades presenciais para cursos de graduação

Vivemos um momento de catástrofe sanitária aprofundado, sobretudo, pela necropolítica, o negacionismo e perspectiva ultra neoliberal do governo Bolsonaro.  A ciência, a Universidade pública e a saúde pública são tratadas com desdém e dezenas de mensagens de e-mails com oferecimento de vacinas não foram respondidos pelo governo Bolsonaro, ocasionando o ritmo de vacinação lento que estamos sofrendo. A gestão criminosa do Governo Federal é parte constitutiva do absurdo número de mais de 530 mil mortos.

A pandemia sanitária se soma à catástrofe social provocada pelo pandemônio político. São mais de 14,7 milhões de brasileiros desempregados e mais de 35 milhões de trabalhadores informais. São 131 milhões de pessoas em insegurança alimentar e quase 19 milhões na extrema miséria.

Os dados são bem elucidativos para demonstrar que estamos longe de uma situação social, de saúde pública, ambiental e econômica favorável no Brasil.  Ainda vivemos uma pandemia e os efeitos diretos de sermos governados por um poder executivo corrupto e autoritário e que não dá nenhum valor a vida. Em meio a esse cenário, no dia 13 de julho, foi publicado o ofício circular nº10/2021/PROGRAD, com as orientações iniciais para planejamento da oferta remota, presencial e híbrida de atividades acadêmicas curriculares (AACs) de ensino de graduação no período letivo 2021/2.

Uma série de medidas foram propostas para iniciar o escalonamento do retorno de atividades presenciais na UFMG. Desta vez, não podemos cometer os mesmos equívocos do momento de implantação do Ensino Remoto Emergencial. Precisamos que todos os aspectos deste retorno sejam amplamente discutidos, avaliados e contrastados com a realidade dos sujeitos da Comunidade Acadêmica antes de serem aprovados pelas instâncias administrativas da UFMG. Mais que isso, precisamos garantir que Assembleias Departamentais sejam abertas para que os representantes em cada órgão de representação em suas unidades não deliberem antes de ouvir ampla e diretamente seus representados de maneira geral e específica. Que as representações possam ouvir e representar as posições dos professores assistentes, adjuntos, associados e titulares.  Acreditamos que a UFMG aplicará a efetividade democrática que cobramos de nossos governantes como é comum acontecer.

Assim, nós, do APUBHUFMG+, tiramos um plano de atividades com algumas datas indicativas para aprofundarmos as discussões sobre essas orientações inicias da oferta remota, presencial e híbrida das atividades acadêmicas curriculares, constituído das seguintes etapas:1º. Chamar reunião do Conselho de Representantes no dia 15 de julho, para iniciar a discussão sobre o conteúdo do ofício circular nº 10/2021/PROGRAD; 2º. Formar uma Comissão, composta por representantes da Diretoria e do Conselho de Representantes do APUBH, para estudar os documentos sobre ensino híbrido emergencial (EHE) e trabalhar com as projeções do que estaria por vir, caso seja aprovado; 3º. Realizar uma Reunião Preparatória para a Assembleia, entre os dias 22 a 26 de julho, em horário ainda a definir, para debatermos, junto à categoria, as questões levantadas pela Comissão de trabalho sobre a retomada gradual de atividades presenciais para os cursos de graduação da UFMG; 4º. Propor reunião dos 3 Setores (Discentes, Docentes e Técnicos Administrativos) para discutir essa questão; 5º. Chamar  Assembleia Geral Extraordinária ainda este mês, até o dia 28 de julho, de maneira que cada unidade tenha ainda trinta dias para responder ao ofício circular nº10/2021/PROGRAD, pautada por uma discussão coletiva, democrática e ampla, que de fato possa nos aproximar em nossas diferenças e necessidades, enquanto Comunidade Acadêmica.

Comprometemo-nos a representar os interesses da nossa categoria, em defesa da vida, para que, quando venha a ocorrer, o processo de hibridização e de retorno das atividades presenciais seja feito com todos os cuidados necessários, combatendo o negacionismo e respeitando a Ciência, entendendo, contudo, que os cortes orçamentários nas IFES e o impacto destrutivo desses cortes nas grandes universidades, a exemplo da UFMG, prejudicam, dificultam e, por vezes, impedem este retorno.

Participe ativamente das próximas atividades do sindicato para termos um plano de ação coletivo que atenda aos anseios da categoria de Docentes. Passe essa mensagem a outros colegas. Um sindicato ativo é sindicato de luta construída com sua categoria!

 

APUBHUFMG+ – Sindicato dos Professores da Universidade Federal de Minas Gerais e Campus Ouro Branco/UFSJ – Gestão Travessias na Luta – 2020/2022

 

 

 

Confira Carta Aberta do DCE/UFMG: Carta Aberta do DCE e das Entidades de Base da UFMG sobre a implementação do EHE