Acontece na APUBH

Nota da Diretoria do APUBH: Fazenda de Igarapé

Foi com muita preocupação que tomamos conhecimento da convocação de reunião pública pelos estudantes da Escola de Veterinária para o dia 10 de outubro. A pauta da reunião é o futuro da Fazenda Experimental Professor Hélio Barbosa (FEPHB), que tem 246 hectares, está localizada no município de Igarapé e foi adquirida pela UFMG em 1963. A fazenda possui: (a) de salas de aula; (b) infra- estrutura para projetos de pesquisa; (c) atividades de extensão voltados para a comunidade, inclusive, cursos profissionalizantes; (d) fábrica de ração para alimentar animais; (e) restaurante e alojamento. A FEPHB é um órgão complementar da Escola de Veterinária destinado a aulas práticas de 25 disciplinas da graduação e pós-graduação. Por ela passam 2.300 estudantes por ano.

Os estudantes conclamam a “mobilização e engajamento da comunidade para salvar a FEPHB”. Eles afirmam em nota que a Fundação de Ensino e Pesquisa (FEPE), que administra financeiramente a FEPHB , pré- determinou a venda de todo o rebanho suíno e bovino.  Setores não rentáveis da fazenda foram extintos, animais já foram vendidos e o restaurante está desativado.

Parte dos custos da fazenda são cobertos com a venda de produtos, mas a responsabilidade por manter uma estrutura tão importante para atividades de ensino, pesquisa e extensão é do governo federal. Consideramos também um absurdo a adoção de uma lógica financista que extingue ou desativa setores considerados “não-rentáveis”, como é caso do restaurante da FEPHB. As aulas práticas, os projetos de pesquisa e o compartilhamento do conhecimento com a sociedade são essenciais para a formação dos estudantes, para a produção de conhecimento e para que a universidade seja um agente de mudança da realidade social.

A diretoria do APUBH saúda a iniciativa dos estudantes em chamar uma reunião pública para defender a FEPHB. Conclamamos a Diretoria da Escola de Veterinária e a Reitoria a expor publicamente os problemas de financiamento da FEPHB. Consideramos essencial que a Reitoria e as Direções das Unidades divulguem como e onde os cortes de verbas do governo federal estão afetando a UFMG.

Nesta semana, a Unicamp realizou uma assembleia histórica, convocada pelo Conselho Universitário, onde os 3 setores da Universidade se reuniram para discutir a situação de estrangulamento da Universidade Pública causadas pelo atual Governo Federal.  A Escola de Veterinária, em seus 86 anos de existência, formou mais de 6.000 veterinários. Essa escola e toda a UFMG são patrimônios de Minas Gerais e do Brasil.

Temos que fazer valer a Constituição Federal, e exigir o repasse integral do orçamento destinado às IFES.

 

Diretoria do Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco – APUBH