Acontece na APUBH

Encontro reúne na UFMG aposentados, aposentandos e pensionistas das IFES mineiras

O papel dos aposentados e pensionistas no movimento do sindical foi um dos assuntos discutidos no primeiro dia do evento

O I Encontro dos Aposentando(as), Aposentados(as) e Pensionistas das Universidades Federais e Institutos Federais do Estado de Minas Gerais começou ontem, 01/08, pela manhã, no Auditório Carangola da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais. A mesa de abertura foi composta pelos dirigentes do APUBH, a Organização dos Aposentados e Pensionistas da UFMG – OAP, o Sindicato dos Trabalhadores nas Instituições Federais de Ensino – SINDIFES e a Associação dos Servidores da UFMG – ASSUFEMG e da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos  em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil – Fasubra.

O APUBH foi representado na mesa de abertura pela da 1ª vice-presidenta do APUBH, professora Maria Rosaria Barbato. Em sua fala de saudação, a vice-presidenta destacou o papel fundamental dos aposentados na história da UFMG e sua contribuição para a sua grandeza, inclusive, com o recente reconhecimento pela Organização das Nações Unidades – ONU.  “A UFMG recebeu o reconhecimento “impacto acadêmico” por realizar objetivos e princípios da ONU em áreas como direitos humanos, sustentabilidade, acesso a educação etc.”, lembrou a professora.  Marisa frisou também que os professores da UFMG tiveram, em momentos decisivos da história brasileira, um significativo papel na resistência e na luta por direitos.

Outro ponto destacado pela professora foi a importância da união e da solidariedade intercategorial e intergeracional, na conjuntura de grave retrocesso e substanciais ataques à universidade, entre os quais o programa FUTURE-SE; e seus servidores, especialmente com a Reforma da Previdência. Ao encerrar sua fala, Marisa pontuou a necessidade dos aposentados se juntarem à luta em defesa do que ajudaram a construir e chamou -os para se aproximarem cada vez mais do sindicato. “Aproximar-se para buscar seus direitos, ajudar com sua experiência e contribuir, com sua participação no processo de decisão, para um sindicato cada vez mais atento às suas necessidades e fortalecido na luta”, concluiu.

O presidente da OAP, professor aposentado e ex-reitor da UFMG, Tomaz Aroldo da Mota Santos, falou sobre a importância do evento. “O Encontro foi uma relevante iniciativa do Sindifes, realizado com apoio e participação do APUBH,  ASSUFEMG e OAP/UFMG  com objetivo de defender a preservação dos benefícios previdenciários constitucionais de aposentados e pensionistas. O evento aponta também para a uma cooperação entre as entidades vinculadas à comunidade da UFMG visando a reinserção de seus filiados, associados aposentados e pensionistas numa comunidade de vida não só para a solução de problemas, mas também, fruição de bens da cultura humana que essa fase da vida lhes oferece”, disse.

Na mesa “O impacto da Reforma da Previdência na vida dos aposentandos, aposentados e pensionistas”, a professora aposentada da Face/UFMG e ex-presidenta do APUBH, Dirlene Marques fez uma análise da conjuntura econômica e política atual. De acordo com ela, os ataques à educação e cultura já eram esperados, pois são característicos de governantes com tendências autoritárias. Em resposta à atual situação, a professora indicou que sindicatos devem buscar parcerias com outras categorias de trabalhadores, em especial os precarizados, ressaltando que esses movimentos deveriam buscar se antecipar às propostas de reformas apresentadas pelos representantes políticos, formulando suas próprias, a fim de se sobrepor aos ataques e desmontes promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro.

A Advogada, especialista em Direito Público e Sindicalismo e assessora jurídica do APUBH, Sarah Campos participou, na parte da tarde, da mesa “O impacto da Reforma da Previdência na vida dos aposentandos, aposentados e pensionistas”.

Campos fez uma apresentação detalhada das justificativas, das incongruências e dos impactos da proposta de reforma da Previdência para os aposentados. Ela destacou que a mesma não considera as particularidades das diversas regiões do país. Assim, alterar a lógica da Previdência, significaria afetar drasticamente a dinâmica de vida de famílias, comércios e até mesmo municípios que dependem de importantes parcelas da renda de idosos.

Sarah apresentou dados que reforçam a noção da Previdência como importante mecanismo de transferência de renda e de combate à desigualdade no Brasil: sem ela, 46% dos aposentados estariam na linha da miséria. Por esses motivos, a proposta de reforma do governo Bolsonaro que prejudica aposentandos, aposentados e pensionistas viola direitos de bem-estar social, segurança e dignidade assegurados pela Constituição, afirmou.  A advogada do APUBH concluiu sua apresentação conclamando os presentes a espalharem essas informações para amigos e familiares, frisando que o tempo para se mobilizar para não perder direitos é agora.

Na manhã desta sexta-feira, 02 de agosto, foi exibido o documentário “Democracia em Vertigem – análise e perspectivas do momento político brasileiro”. A sessão foi seguida de debate com a participação dos professores Bruno Reis (FAFICH/UFMG) e Marcelo Cattoni (Direito/UFMG). Marcelo manifestou a sua grande satisfação em participar do evento por ter tido a oportunidade de fazer uma análise da atual conjuntura e contar com o retorno crítico fundamentado na experiência dos aposentados e aposentadas (antigos servidores e servidoras públicos) que participaram do serviço.

A programação do Encontro para a sexta-feira, 02 de agosto incluiu ainda palestras sobre o serviço social nos sindicatos e o protagonismo do idoso.  Esse seminário é a primeira ação conjunta do APUBH, SINDIFES, OAP/UFMG e ASSUFEMG em prol dos servidores e asdas servidoras aposentadas e pensionistas.