Diretoras da APUBH recebem medalha Clara Zetkin

Medalha é concedida pelo Sinpro Minas, em homenagem ao protagonismo de mulheres que lutam por uma sociedade mais justa e igualitária

Anualmente, o Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro Minas) realiza a entrega da medalha Clara Zetkin, em homenagem ao protagonismo de mulheres que, com sua luta, contribuem para a criação de uma sociedade mais justa e igualitária. Neste ano, a comenda foi concedida a doze mulheres de diferentes segmentos, em cerimônia realizada no dia 15 de setembro, na sede da entidade.

As professoras Rosangela Carrusca Alvim e Otávia Fernandes de Souza Rodrigues, diretoras da APUBH, estão entre as homenageadas da noite. “Eu estou muito emocionada por ter recebido esta homenagem”, comenta a professora Carrusca. “Essa é uma justa homenagem às mulheres que estão presentes nas lutas. Nós temos que continuar na luta”.

Este é o quinto ano de entrega da medalha, que leva o nome da revolucionária alemã Clara Zetkin (1857-1933), célebre ativista pelos direitos das mulheres e uma das fundadores e dirigentes do Socorro Vermelho Internacional. Zetkin é conhecida por ter sido a idealizadora da criação do Dia Internacional da Mulher. O evento contou, ainda, com o lançamento da revista de gênero “Elas por Elas”, publicada pelo Sinpro Minas.

Também receberam a medalha: a técnica social do Programa de Proteção aos Defensores de Direitos Humanos de Minas Gerais, Benilda Regina Paiva Brito; a presidenta do Movimento Popular da Mulher (MPM) e vice presidenta do Conselho Estadual da Mulher de Minas Gerais, Carmélia Viana Rocha; a defensora pública-geral de Minas Gerais, Chistiane Neves Procópio Malard; a diretora de projetos do Instituto Pauline Reichstul onde coordena o projeto de pesquisa Adoecimento nas Escolas, Diva Moreira; a ex-coordenadora da área técnica de Saúde da Criança e do Adolescente da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, Márcia Rocha Parisi; a pedagoga e professora de escolas municipais e estaduais de Minas Gerais e uma das fundadoras da Associação José Marti, Maria José da Silva; a enfermeira e educadora popular, que já integrou a organização política Brigadas Populares, Nathália Orleans Barcelos; a promotora de Justiça no Ministério Público de Minas Gerais, Patricia Habkouk; a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Sindicais de Minas Gerais (Sitesemg), Rogéria Cássia dos Reis Nascimento; e a coordenadora do Grupo de Pesquisa em Comunicação, Acessibilidade e Vulnerabilidades (Afetos), Sônia Caldas Pessoa.

galeria de imagens

post anterior próximo post Voltar para listagem