Professores da UFMG e UFSJ-Ouro Branco paralisam as atividades no dia Nacional do Basta

Moção do Sindicato foi publicada nas edições desta sexta (10/08) nos Jornais Brasil de Fato e Hoje em Dia.

Nos últimos dias, os Professores universitários das Instituições públicas foram surpreendidos com o anúncio de cortes de 11 % no Ministério de educação e 16 % na CAPES e 30 % no CNPq, que afetarão de forma devastadora a pós-graduação brasileira e a formação dos Professores de educação básica.

No Brasil, o financiamento em C&T já foi reduzido em 44% no exercício anterior: em 2017 contou com o menor volume de recursos em 12 anos. Esse corte piora ainda mais a situação da área de C&T (Ciência e Tecnologia).

A diminuição de investimentos em C&T tem consequências graves: o próprio Ministério da Educação (ou da Deseducação) calcula que a diminuição de gastos anunciada para C&T significa cessar o pagamento de  bolsas de pós-graduação a partir do 2o semestre de 2019.

Nas palavras do físico Luiz Davidovich, presidente da Academia Brasileira de Ciências, isto representa “uma bomba atômica dirigida à Ciência brasileira”. “Se estivéssemos em guerra, é como se fosse a estratégia de uma potência estrangeira para destruir nosso país. Mas de fato, é o governo Michel Temer que está fazendo isso a nós mesmos.” Enquanto isso, nos Estados Unidos, o governo americano anuncia um aumento de 12.9% em seu orçamento que inclui C&T. Por este motivo, o cientista Miguel Nicolelis, declarou o seu rechaço em relação a pessoas que trabalham para destruir a viabilidade de sua própria nação, criticou o sucateamento da ciência brasileira, os cortes no orçamentocientífico e acrescentou a necessidade de um projeto político em torno de pontos mínimos que incluam a educação pública de qualidade.

O sindicato dos professores das Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco (APUBH), que representa os professores da UFMG e UFSJ-Ouro Branco, conclama a sociedade a somar forças nesta luta. Defendamos a educação e a ciência Brasileira. Estaremos no dia 10 de agosto paralisados protestando contra os cortes no Ministério de Educação, contra os cortes na ciência e tecnologia, pela defesa da Universidade pública e gratuita, contra a sua privatização, pela derrubada da Lei do teto dos gastos (Emenda constitucional 95). Dia do Basta, 10 de agosto, sexta-feira. Praça Afonso Arinos, concentração às 11:00 horas.

 

post anterior próximo post Voltar para listagem