'Classe': APUBH promoveu peça teatral com apoio da DAC/UFMG

Espetáculo correu risco de cancelamento por causa dos cortes na Universidade

O Auditório da Reitoria da UFMG foi o palco da peça teatral "Classe", na noite desta terça-feira (28/05). A apresentação ficou por conta do Grupo Mulheres Míticas, com a atuação de Felipe Cordeiro, Jéssica Ribas e Luísa Lagoeiro. O texto foi escrito pelo dramaturgo, roteirista e diretor teatral Guillermo Calderón.

O espetáculo integrou a Programação Maio: Trabalho e Educação, realizado pelo APUBH em celebração ao mês das trabalhadoras e dos trabalhadores. Após a atividade, houve um bate-papo entre os atores e a plateia.

Na peça, uma estudante comparece à sala de aula, enquanto os colegas participam, na rua, de um ato em defesa da Educação. Na classe, desabafos sobre angústias e perda de utopia. A temática dialoga com a conjuntura atual do Brasil na qual o papel sociopolítico da Educação está ameaçado. As ameaças podem ser sentidas na política de sucateamento das intuições públicas de ensino e pesquisa, na desvalorização do trabalho docente e nas dificuldades para que estudantes provenientes de famílias de baixa renda ingressem e permaneçam na universidade.

Efeitos dos cortes na UFMG afetaram o espetáculo

E se a conjuntura da Educação do país está difícil, encená-la também não foi fácil. O impacto do corte de verbas para a universidade quase impediu o espetáculo. A estrutura do auditório apresenta problemas técnicos que, como vários outros espaços da UFMG, não recebe manutenção há um longo período. Por isso, equipamentos fundamentais para a apresentação estavam comprometidos.

Apesar dos contratempos, integrantes do grupo, professores e técnico-administrativos da UFMG se empenharam para garantir que a peça fosse executada. E, com muito esforço, conseguiram. Assim como o espetáculo, a luta por mais investimentos e menos cortes na Universidade não pode parar.

 

galeria de imagens

post anterior próximo post Voltar para listagem