APUBH participa de reunião da Frente Mineira Popular em defesa da Previdência Social

Confira as deliberações da reunião.

A Frente Mineira Popular em defesa da Previdência Social realizou reunião no dia 12 de novembro, na sede da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (ANFIP-MG). O objetivo principal foi organizar a retomada do trabalho de mobilização contra a Reforma da Previdência (PEC-287-A/2016).  A APUBH é uma das entidades que integram a Frente, sendo representada, na ocasião, por seu 1º Secretário, professor Sebastião Pádua, e pela advogada Flávia Mesquita, assessora jurídica do sindicato.

Confira no anexo a Carta da Frente Mineira Popular em defesa da Previdência Social com o posicionamento sobre a Reforma da Previdência (PEC-287-A/2016).

Na reunião foram aprovadas as seguintes deliberações:

1.     Apoiar, divulgar e participar de ato público contra o desmonte  do Ministério do Trabalho. Manifestações acontecerão em todos País. Em Belo Horizonte, dia 14/11/2018 (quarta), às 10h, em frente à sede da SRT/BH - rua dos Tamóios, 596, Centro, BH/MG;

2.     Apoiar, divulgar e participar dos atos públicos que acontecem nos dias 21 e 22/11/2018, em Brasília/DF, contra a reforma da Previdência. .  Dia 22/11/18 as 8h30, no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF) -  Seminário 30 anos da Seguridade Social – Avanços e Retrocessos, promovido pela ANFIP e Fundação ANFIP.

3.     Produzir uma nota pública da Frente, a ser distribuídas nos atos de Brasília nos dias 21 e 22/11/2018. Posicionamento contra a reforma, o pente fino (reforma paralela) em execução no INSS, carteira verde-amarela, fim do MT e demais cortes de direito sinalizados;

4.     Unificar as ações da Frente com os calendários no mesmo sentido das Centrais Sindicais e movimentos populares, contra cortes de direitos. Para definir esta atuação, foi aprovada reunião conjunta ampliada no dia 26/11 (segunda), às 14 horas, na sede da CSP-Conlutas: Av. Amazonas, 491, 6º andar - Ed. Dantês.

5.     Buscar agregar outras entidades de servidores municipais, estaduais e federais, para fortalecer a defesa da Previdência;

6.     Produzir cartilha bem sucinta com os resultados da CPI da Previdência, que comprovam ser a Previdência sustentável e superavitária, linguagem simples, para ampla distribuição à população;

7.     Buscar apoio de parlamentares, novos e antigos, para intensificar a luta contra a reforma.

 

Com informações da Frente Mineira Popular em defesa da Previdência Social.

lista de anexos

post anterior próximo post Voltar para listagem