APUBH participa de eventos de luta em Brasília, em favor da Ciência e da Educação

Sindicato participou do lançamento do ICTP.br e de reunião com o Observatório do Conhecimento

O APUBH esteve representado em dois grandes eventos de enorme importância em Brasília, nesta semana.

Na quarta-feira (08/05), os representantes do sindicato participaram das discussões na Câmara dos Deputados em defesa da ciência, promovidas pela SBPC, ABC e ANDIFES. O evento contou com mais de 60 associações, sociedades científicas e outras representações ligadas à ciência, tecnologia, inovação e educação no país. Na ocasião, foi lançada a Iniciativa para a Ciência e Tecnologia no Parlamento (ICTP.br).

Houve encontros com cerca de 20 deputados federais, que externaram seu apoio à ciência, tecnologia e à educação. Nestas reuniões, ficaram definidas agendas para a luta junto ao Congresso Nacional, na tentativa de se envolver o parlamento nas discussões acerca dos cortes em ciência e tecnologia no Brasil.

Dentre as propostas de encaminhamento, ficou definido: a luta pela recomposição do orçamento de Ciência e Tecnologia, no âmbito do Ministério das Comunicações, Ciência e tecnologia (MCTIC), que tiveram uma queda de mais de 70% nos últimos anos; aprovação da PLS 315 que transforma o FNDCT em fundo financeiro; aprovação do projeto de lei 5816/16 que destina 25% do fundo social do pré-sal à CT&I; derrubada dos vetos à lei dos fundos patrimoniais.

O Deputado Federal Orlando Silva (PCdoB) ficou responsável pela interlocução destas demandas com o congresso, com o apoio do Deputado Federal Márcio Jerry (PCdoB), membro titular da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados. Houve importante referência à mobilização dos mineiros em favor da FAPEMIG, dizendo que o exemplo deveria ser seguido em todo o país.

Na quinta-feira (09/05), o APUBH se reuniu com o Observatório do Conhecimento, do qual passou  fazer parte integrante, na luta em defesa da educação com várias entidades ligadas à educação pelo país. Na reunião, a líder do projeto, Professora Lígia Bahia, vice-presidente da ADUFRJ, deixou claro que o caráter do observatório é servir de instrumento ágil de observação e resposta aos constantes ataques contra às Universidades Públicas e, principalmente, de articulação junto ao congresso nacional.

O Observatório é um projeto com duração inicial previsto para 6 meses. Trata-se de iniciativa suprapartidária, sem vínculo com sindicatos específicos, e aberto a qualquer instituição interessada na defesa da Universidade Pública, gratuita e de qualidade. Para isso, as frentes de trabalho foram definidas, bem como a organização financeira desta iniciativa, foi discutida com todos, de forma muito democrática. Desta forma, no intuito de fortalecer a participação do Observatório do conhecimento junto aos parlamentares do congresso, foram discutidas também, as estratégias de articulação, na tentativa de se conquistar o maior número possível de parlamentares na defesa das Universidades Públicas do país.

O Observatório do Conhecimento já foi considerado um sucesso, com enorme repercussão dentro do congresso nacional. Pensamos ser hoje, um dos principais movimentos de mobilização e luta à favor das Universidades públicas no país.

 

post anterior próximo post Voltar para listagem