APUBH participa da Conferência Livre de Educação Superior no Campus Pampulha da UFMG

A atividade faz parte da preparação para a Conferência Nacional da Educação Popular que acontece nos dias 24, 25 e 26 de maio em Belo Horizonte

A UFMG, campus Pampulha sediou, no último dia 28 de março, a Conferência Livre de Educação Superior. O evento faz parte da etapa preparatória para a Conferência Nacional de Educação Popular – CONAPE que será realizada em Belo Horizonte de 24 a 26 de maio. Para discutir o tema “Em defesa da Universidade Pública e a democracia”, estiveram presentes representantes de diversas entidades ligadas à educação no país.  A APUBH foi representada pela diretora Rosângela Carrusca.

Em seu primeiro evento formal após a posse, a nova reitora da UFMG, professora Sandra Goulart, parabenizou a iniciativa do Fórum Nacional Popular de Educação – FNPE de pensar a Educação Superior e de abordá-la sobre o viés da defesa da Democracia. “É um importante espaço de construção da política nacional de educação e de pensar, neste momento, a educação superior também”, disse.  Sandra também agradeceu a escolha da UFMG como sede da Conferência e destacou que a escolha “é emblemática pelo momento que nós vivemos. Então eu agradeço a solidariedade de todos que deram apoio à UFMG neste momento”. E completou dizendo que este “é o momento de nos unirmos em defesa da educação, da ciência, da tecnologia, da saúde, da universidade sempre pública, gratuita e de referência para o nosso país. Temos que nos unir na defesa desses valores que são tão caros para todos nós”.

Heleno Araújo, presidente da Contee e um dos coordenadores do FNPE, explicou o histórico de criação do FNPE e ressaltou o absurdo do que está acontecendo no país. “A tragédia que aconteceu com o reitor da UFSC, o absurdo cometido nesta casa com o reitor, vice-reitor, ex-reitores, professores que têm compromisso social e com a educação, mas foram utilizados pelo estado, o aparato do estado utilizando  a PF, a mídia golpista para passar para a sociedade brasileira que a universidade brasileira recebe muitos recursos, gasta mal e por isso tem que continuar sendo privatizada. E nós não aceitamos isso e por isso estamos aqui hoje fazendo essa conferência livre da CONAPE para  trazer aqui a nossa mensagem, o nosso repúdio, mas também para anunciar, convidar, convocar para a mobilização para a etapa nacional da CONAPE (24 a 26 de maio)”, declarou.

Em sua fala, Rosângela Carrusca Alvim, diretora da APUBH e representante do sindicato na Conferência agradeceu o convite para participação e parabenizou a comissão organizadora por meio da professora Analise de Jesus da Silva, professora da UFMG, representante da instituição no Fórum Estadual de Educação de Minas Gerais e membro da comissão organizadora da Conferência e do CONAPE.  Alvim destacou que, após o impeachment de Dilma, os brasileiros ficaram órfãos dos direitos sociais que estão sendo órfãos dos direitos sociais que estão sendo friamente retirados, principalmente, com relação à educação pública e a saúde pública.  Ela ainda ressaltou que a crise chegou “às universidades públicas: em uma campanha orquestrada pelo governo, pela grande mídia e pelos órgãos internacionais de difamação de tudo que é público, investidas contra reitores, contra a autonomia universitária, a famigerada escola sem partido e os ataques mais recentes às instituições e docentes que inauguram disciplinas sobre o golpe, já são muitas, redução de investimentos, que já eram parcos, redução de bolsas em diversos níveis, precariedade nas condições  de trabalho, salários cada vez mais aviltantes  de docentes e técnicos, situação de impossibilidade de permanência  de estudantes carentes, mas o grande golpe ainda está sendo construído que é o fim da gratuidade das universidades públicas”.  Para a diretora da APUBH, no final de sua fala, é necessário enfrentar essa tentativa do governo de destruir as universidades e várias iniciativas estão sendo feitas e a Conferência já é um desdobramento de uma reação da comunidade acadêmica e da sociedade.

Analise de Jesus da Silva, professora da UFMG, representante da instituição no Fórum Estadual de Educação de Minas Gerais – FEEMG destacou em sua fala as discussões realizadas no âmbito do FEEMG sobre o significado de uma educação com qualidade social e inclusiva e também fez uma crítica às arbitrariedades da PF nas universidades públicas federais e instituições de ensino.

O repúdio às ações da Polícia Federal nas universidades brasileiras  e a solidariedade à UFMG e a crítica ao corte ou redução de investimentos na educação, ciência e tecnologia e à mercantilização do ensino público e privado foram os tópicos abordados nas falas estiveram presente nas falas de todos os representantes da entidades participantes da Conferência, tais como PROIFES, SINPROMINAS, UEMG, PUCMinas, ANPED, SINDIFES, FASUBRA, UNE, SINDUTE, entre outras.

Conferências Livres

De acordo com o FNPE, “as conferências preparatórias e livres são espaços, autoconvocados e autogeridos, de formação, comunicação e mobilização social para as pessoas dispostas a participar do debate sobre educação e contribuir para a construção da Política Nacional de Educação no contexto da CONAPE”.  Um dos objetivos das conferências é “Promover o diálogo e estimular a participação de todas as entidades e pessoas interessadas, independente de virem ou não a ser delegadas, que podem e devem debater a educação nacional, dizer seus sonhos e influenciar as deliberações das conferências em suas etapas municipal e/ou intermunicipal/regional, estadual/distrital e nacional”.

 

 

post anterior próximo post Voltar para listagem